01/12/2009

Dependência virtual

O homem inventou a máquina para que ela o ajudasse a realizar de forma mais rápida aquilo que o ser humano não consegue, facilitando assim a sua vida, e de fato, é o que tem acontecido. Cada vez mais o aparato tecnológico tem auxiliado nosso cotidiano tornando as coisas mais ágeis.
Lembro do tempo em que, para comunicar-se com um parente ou amigo distante, se não tivesse telefone em casa, porque era muito caro, era preciso enviar uma carta, aguardar dias para que ela chegasse ao destino e esperar ansiosamente pela resposta. Hoje, em questão de milésimos de segundo, temos todas as ferramentas necessárias para falar com aquele primo que mora lá onde o vento fez a curva e eu acho isso muito, muito bom!
Aquilo que hoje é novidade, amanhã tende a estar ultrapassado, mas será que realmente precisamos de tudo o que nos é oferecido? Será que todo esse mercado tecnológico de última geração é necessário? Sei não. Acho que o homem tem se tornado um pouco refém de seus próprios inventos e é perigoso quando o mundo virtual e o real tornam-se uma linha ténue.

Não pense que sou contra qualquer tipo de manifestação virtual, que não gosto dos aparelhinhos modernos que facilitam um bocado nossa vida, mas não me tornei, e nem pretendo tornar-me uma escrava de um faz de conta da vida moderna. vou explicar:
Quando o Sr. Orkut tornou-se febre no Brasil, percebi que as pessoas não tinham outro assunto, ficavam (e ficam ainda!) horas do seu dia conectadas, "conhecendo" virtualmente pessoas de outros cantos do país, xeretando a vida alheia, conheço pessoas que fazem "amigos" virtuais e se isolam dos amigos reais, se esquecem da vida social e vivem numa vida on line 24 horas por dia.
Eu não tenho nada contra orkut. Já tive o meu, reencontrei pessoas muito queridas, conheci pessoas virtualmente, já troquei mensagens com elas, mas nunca tive a ilusão que serão minhas amigas de infância, porque a vida aqui fora é bem mais complicada e se o olhar no olho já não diz muito sobre a pessoa, imagine a tela fria do computador!

Agora, tem uma ferramentazinha nova bombando por aí que eu, particularmente tenho uma certa implicância. É o tal do Twitter.
Amigos já insistiram pra eu fazer parte, eu já entrei no deles, no de algumas pessoas famosas e até agora não entendi pra que serve. Se tem a função de micro blog, pra mim não serve. Sou prolixa (deu pra perceber,hehe) e 140 caracteres seria o mesmo que nada. Acho que ele foi inventado com o intuito de divulgar o trabalho de profissionais, uma espécie de classificados, sei lá. Pra isso acho muito útil, ou pra um artista divulgar seu trabalho, onde vai se apresentar, etc. Mas sabe o que eu tenho visto? Um apresentador batendo boca com outro por causa de audiência, ou pedindo voto num prêmio de TV que vai participar. Um político falando mal do outro, passando o dia inteiro conectado. (Ah, já entendi porque ninguém trabalha em Brasília, hehehe...)

Soube de casos de pessoas que vão pra balada e postam do seu celular: "Estou em tal lugar, com tal pessoa, fazendo tal coisa..." Depois, não reclame se for assaltado, hein!
Outros, estão numa mesa de bar com amigos e não desgrudam de seu brinquedinho, não conseguem curtir aquele momento por estarem muito ocupados. Outros postam assim: "estou vendo um filme". Pô, então vai ver o filme, depois posta!
Outro dia liguei pra uma amiga e a achei um pouco evasiva, daí perguntei: - Lu, vc tá chateada? Aí ela respondeu: -Não, eu tô tentando postar um negócio no twitter, mas não não está abrindo. -Ah, tá. Continuei o papo. Minutos depois, ela deu um grito: -Consegui! -Conseguiu o que, Lu? Eu perguntei. -Consegui postar no twitter! -E vc postou o quê? -Que hoje eu tô de folga!.......................................... (pausa dramática)
Nooooooossa!! Que interessante, Lu!!!!
Acho que ela não gostou muito do meu sarcasmo, menos ainda eu gostei do fato dela não ter prestado muita atenção no papo. Entendeu agora porque implico com o Twitter? Mas acho que a culpa seja daqueles que não sabem usar. Eu gosto muito da net, tô adorando meu bloguinho, estou, aos poucos, conhecendo pessoas muito bacanas por aqui, mas uso com responsabilidade, pois aprendi a separar bem aquilo que é virtual do que é real.

Espero que todos aprendam também. Ah, e que nossos governantes larguem o Twitter e vão trabalhar!!!!

2 comentários:

lucianoportela18 disse...

Belo post. Concordo com vc, estamos cada dia mais dependentes de bugingangas tecnológicas que muitas vezes não sabemos pra que servem. Tanmbém acho perigoso a maneira com que muitos lidam com isso, acaba gerando total dependência.
Um grande abraço!

Carla disse...

Eu sou muito fã da internet, mas uso com moderação porque sei que vicia. Conheço muita gente que já se tornou dependente e não larga mais. Também não gosto do twiter, acho chato e não entendo como conseguiu tantos adeptos no Brasil, só perde por enquanto pro Orkut.

Adorei conhecer seu blog. Ele é muito bacana, parabéns!

Beijão, Carla Priscila