16/11/2009

Como dizia o profeta...


Outro dia vi num programa de TV (que, pra variar, não lembro qual!) a matéria sobre um carinha que saía pelas ruas distribuindo gentilezas. Assim, a troco de nada, porque pra ser gentil não precisa pensar em retorno, né? Então.
Ele cedia o lugar pra jovens senhoras que nem estão na faixa etária do preferencial, ajudava as pessoas a carregar suas sacolas, atravessava a rua segurando a mão de senhorinhas, apoiava homens e mulheres enquanto desciam dos ônibus, entre outras coisas.
Quando questionados pela repórter, as pessoas se diziam surpresas e até assustadas, a maioria das mulheres achava que seriam assaltadas ou paqueradas, já os homens pensavam se tratar de um ladrão, um maluco ou gay e preferiam, ambos os sexos, dispensar aquele gesto com medo do que iria acontecer. Ninguém respondeu que aquele rapaz poderia apenas estar tentando ser gentil.
Engraçado o ponto que chegamos, né? Pra um cara se aproximar da gente, dar um sorriso, querer ajudar, ele não pode estar batendo bem ou trata-se de Serial Killer da pior espécie, tudo isso porque o ser humano já esqueceu há muito tempo como é bom fazer e receber um gesto cordial do outro e esperar pelo pior já virou algo constante entre nós.
Por que não copiamos o simpático profeta e entendemos de uma vez por todas que:
Gentileza gera gentilezzzzzzza!

Um comentário:

Carla disse...

O problema é que nos permitimos achar normal o que não é, então já nos esquecemos o quanto é bom ser amável. Mas eu não esqueci não, tá? rsrsrs Beijokas!!